Notícias



Especialmente neste momento de pandemia, quando os hemocentros precisam atender a várias demandas da população, é preciso manter os estoques de sangue acima da média. Para atrair novos doadores voluntários, a coordenadoria de Saúde Pública da Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC) formalizou na manhã desta quinta-feira, 18, uma parceria para apoiar campanhas desenvolvidas pelo Hemoacre e estimular a doação de sangue entre defensores, servidores, assessores e estagiários da DPE. 
 

Atualmente, 70% do total de sangue recebido pelo Hemoacre provém de doadores de reposição, como são chamados os que doam em situações emergenciais ou são levados por pedidos de familiares. Apenas os 30% restantes são doadores voluntários. A parceria prevê, além da ação interna de conscientização e estímulo à doação, a elaboração de material informativo a ser veiculado nos sites das instituições e nas redes sociais da Defensoria Pública. 
 

Diretora do Hemoacre, Josiane Amorim, e coordenadora do Subnúcleo de Saúde Pública, defensora Juliana Cordeiro, estabelecem parceria para estimular doação voluntária de sangue Foto: Golby Pullig/Ascom DPE

Para a coordenadora do Subnúcleo de Saúde Pública, defensora Juliana Marques Cordeiro, o momento é de união entre as instituições para garantir mais acesso do cidadão aos seus direitos fundamentais à saúde. “Estamos todos no limite. É importante que possamos nos ajudar mutuamente para garantir que este estoque de sangue esteja sempre acima da média para que nenhum acreano fique sem sangue quando precisar”, disse a defensora, que após a reunião com a gerente do Hemoacre fez o cadastro e passou pela triagem para doar sangue.
 

A gerente-geral do Hemoacre, Josiane Amorim, comemora todas as parcerias, porque este movimento atrai justamente o público que o órgão quer chamar atenção. “As pessoas têm que entender que quando alguém vem doar para um familiar, não é esse sangue que vai para ele, mas o que já está em estoque, foi testado e liberado. Precisamos aumentar o número dos doadores voluntários, que é quem mantém o estoque seguro o ano todo”, explica a gerente-geral do Hemoacre, Josiane Amorim. Ela lembra que neste momento não são apenas os pacientes de covid que necessitam de sangue, mas os pacientes de dengue, pessoas acidentadas, grávidas que precisam de cirurgia, por exemplo.
 

Procedimento é rápido e seguro ao doador Foto: Golby Pullig/Ascom DPE

Sangue é vida - Quem pretende doar pela primeira vez pode baixar o aplicativo Sangue é vida ou fazer o agendamento pelo telefone 3248-1380. Órgãos, instituições, empresas privadas, congregações religiosas podem ligar e também agendar para facilitar o recebimento dos doadores. Para evitar aglomeração, parte da entrevista de triagem é feita antes que o doador se dirija até o Hemoacre.  O ato de doar é simples, rápido e totalmente seguro. Todo o material usado é descartável evitando riscos de contaminação. 
 

Para doar sangue:
 

É preciso ter entre 16 e 69 anos e pesar mais de 50kg.

Menores de 18 anos só podem doar com consentimento formal dos responsáveis.

Estar alimentado.

Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas anteriores à doação. 
 

Quem não pode doar: 

Pessoas com febre, gripe ou resfriado, diarreia recente, grávidas e mulheres no pós-parto não podem doar temporariamente.