Notícias



Coordenadores do Núcleo da Cidadania, Celso Araújo, e do Subnúcleo de Direitos Humanos 2 (SDH2), Flávia Nascimento, da Defensoria Pública do Acre em reunião com o diretor do Departamento da Polícia Técnico- Científica, Ítalo Maia. Foto: Kristel Noriega

Coordenadores do Núcleo da Cidadania, Celso Araújo, e do Subnúcleo de Direitos Humanos 2 (SDH2), Flávia Nascimento, da Defensoria Pública do Acre se reuniram com o diretor do Departamento da Polícia Técnico- Científica, Ítalo Maia, para tratar acerca das adaptações e mudanças nos protocolos seguidos no exame de corpo de delito para elaboração de laudo pericial. 

 

Fruto da soma de esforços da Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC) em prol da defesa dos direitos humanos, além da parceria e boa receptividade do Departamento da Polícia Técnico-Científica, por meio do Instituto Médico Legal (IML), constatou-se durante a reunião, que os procedimentos e protocolos de perguntas para elaboração do laudo pericial, foram modificados em Rio Branco, incluindo a tortura como um crime específico e não mais como um meio para o crime. 

 

Na oportunidade, a coordenadora do SDH2, Flávia Nascimento, destacou a importância da perícia para sociedade e o Sistema de Justiça, e agradeceu a parceria da diretoria do IML. 

 

“Após a primeira visita da DPE ao Departamento, o laudo pericial em Rio Branco foi modicado, retirando da quesitação à tortura como um meio de crime, colocando-a como um crime específico. Isso representa um grande avanço, pois a tortura é um crime específico que não pode ser tolerado e deve ser combatido. Esperamos que essa mudança em prol do combate à tortura e tratamentos desumanos, ocorra também em todo o estado”, explicou a coordenadora.

 

Inspeção ao IML realizada pela Defensoria no dia 21 de março.  Foto: Kristel Noriega

 

A defensora pública pontou, ainda, a necessidade de se ter mais médicos peritos atuando no estado, devido à grande demanda de serviço do Departamento de Perícia, visando o fortalecimento dos trabalhos. 

 

O diretor do Departamento da Polícia Técnico-Científica, perito e médico legista, Ítalo Maia, ressaltou que as mudanças nos procedimentos dos laudos periciais otimizam a prestação de serviço do Instituto, promovendo maior transparência e credibilidade ao trabalho desenvolvido pelo IML. 

 

Participou do encontro, também, a assistente jurídica do SDH2, Bárbara Fontinelli.

 

 

 



Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o www.defensoria.ac.def.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse nossa Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.