Notícias

Evento continua nesta quinta,19, com tema sobre migração indígena warao



O projeto Rodas de Conversa - Os desafios das questões étnico-raciais no estado do Acre iniciou nesta terça-feira, 17, com debate sobre o tema: Os povos indígenas no estado do Acre - História e presente na autodeterminação, desenvolvido pelas facilitadoras Francisca Arara, presidenta do Comitê Regional para Parceria com Povos Indígenas Outras Populações Tradicionais do ICMBio e Andréia Baia, antropóloga do DSEi-Juruá. A roda de conversa teve a mediação da idealizadora do evento no Acre, defensora pública Cláudia de Freitas Aguirre.

 

Na abertura, a defensora pública geral, Simone Santiago, destacou a importância da discussão sobre o tema que faz parte de campanha da Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (Anadep) intitulada Racismo se combate em todo lugar – Defensoras e defensores Públicos pela equidade racial. 

 

“Parabenizo e já agradeço pela participação e contribuição das facilitadoras que nos honraram com suas falas e conhecimento na primeira noite, e à Dra. Cláudia Aguirre como a pessoa que idealizou esse evento super importante, atual, e ligado ao tema nacional da nossa associação”, disse a defensora-geral. 

 

“Todo ano nossa Associação Nacional lança uma campanha que tem um cunho, a princípio pedagógico, sobre um tema relacionado à defesa de direitos humanos, relacionado às pessoas que a Defensoria atende e esse ano é racismo. O importante dizer que esse evento iniciado hoje foi feito a muitas mãos. A intenção é que essa seja a primeira de muitas iniciativas durante a campanha que dura todo um ano”,  destacou a defensora Cláudia Aguirre.
 

Realizado pela Defensoria Pública, por meio do Centro de Estudos Jurídicos do Acre (Cejur), com apoio da Ouvidoria-Geral da DPE/AC e da Associação das Defensoras e Defensores Públicos do Estado do Acre (Adpacre), o projeto Rodas de Conversa continua nesta quinta-feira, 19, às 18 horas, pelo canal da Defensoria Pública do Acre no YouTube, com a participação da profª. Dra. Patrícia da Silva, da docente de Psicologia - do Naebi e MulherAções - CFCH/Ufac e de Jesus Zapata, liderança indígena warao. A mediação será feita pela ouvidora-geral da DPE/AC, Solene Costa. 

Confira a programação:
 

Dia 24

Tema: O encarceramento à luz dos marcadores de raça e etnia

Facilitadoras: Marisol Brandt, doutora em Sociologia (UnB) e professoraassociada - CFCH/Ufac
e Soleane Manchineri, professora indígena, mestrado em Letras: Linguagem e identidade pela Ufac.

Mediadora: Juliana Marques, coordenadora do Centro de Estudos Jurídicos (Cejur) da DPE/AC


Dia 26

Tema: A importância das ações afirmativas na superação de racismo estrutural

Facilitadores: Evandro Luzia, professor, gestor de políticas públicas, coordenador do MNU Acre, doutorando em Linguagens e identidades pela Ufac, e Sulamita Rosa,  licenciada em Pedagogia e mestra em Educação pela Ufac, liderança negra pelo Programa Marielle Franco do Fundo Baobá. Fundadora da Rede Mulher Ações Neabi-Ufac. 

Mediadora: Aryne Cunha, defensora pública e presidente da Associação das Defensoras e Defensores do Estado do Acre (Adpacre)