Notícias

Solenidade abriu oficialmente a terceira edição do projeto Juntos por Elas



A subdefensora-geral, Roberta Caminha, e a coordenadora do Subnúcleo de Direitos Humanos 1, Juliana Caobianco, representaram a Defensoria Pública no ato em homenagem aos 15 anos da Lei Maria da Penha e abertura da terceira edição do projeto Juntos por Elas. A solenidade foi promovida pelo governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e Políticas para Mulheres (SEASDHM), nesta segunda-feira, 15, em frente ao Palácio Rio Branco que, durante a cerimônia, foi iluminado com a cor lilás.
 

O Acre ocupa, ainda, o primeiro lugar no ranking de violência contra a mulher, proporcionalmente. Um dos fatores que gerou o aumento destes números foi o isolamento social causado pela pandemia de covid-19.  Mas dados do Observatório de Análise Criminal do Ministério Público do Acre apontam uma redução de 77,8% no índice de feminicídio no período entre janeiro a junho de 2021.  
 

O governador Gladson Cameli enfatizou em seu discurso o trabalho do gabinete da primeira-dama, Ana Paula Cameli, e ações da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e Políticas para Mulheres (SEASDHM) para o combate à violência contra as mulheres e o desenvolvimento de ações de conscientização e educação para uma sociedade não violenta.  
 

Cameli anunciou a construção de três casas da Mulher Brasileira, em Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Brasileia, além da implantação do projeto Maria da Penha vai às Aldeias. “Mais de nove mil mulheres já foram atendidas pelos programas de proteção à mulher no Acre. Vamos trabalhar para ver os números reduzirem até chegar a zero feminicídio no Acre”, disse. 

Solenidade em alusão aos 15 anos da Lei Maria da Penha  e abertura da 3ª edição do projeto Junto por Elas  reúne representantes de instituições no combate à violência contra a mulher Foto: Golby Pullig/Comunicação DPE

A subdefensora-geral Roberta Caminha destacou a importância da Lei Maria da Penha para a ampliação das possibilidades para que a mulher não se sinta sozinha, procure ajuda e receba a atenção necessária para que possa ter mais qualidade de vida e sair da situação de violência em que se encontra. “Por este motivo é de suma importância a criação e aprimoramento de ferramentas para o enfrentamento da violência contra a mulher, com ações de prevenção, conscientização e apoio às vítimas”, ressaltou Roberta Caminha parabenizando as instituições por todo o trabalho desenvolvido e reiterando o compromisso da Defensoria Pública com a causa. 

Subdefensora-geral Roberta Caminha destaca importância da Lei Maria da Penha e reitera o compromisso da Defensoria Pública no combate à violência contra as mulheres Foto: Golby Pullig/Comunicação DPE

A Defensoria Pública do Acre criou o Subnúcleo de Direitos Humanos 1 (SDH1) para intermediar ações e atuar para garantia de direitos. Ações cíveis, de guarda, de alimentos, busca e apreensão são alguns dos serviços oferecidos pela DPE após o rompimento da relação abusiva.
 

Participaram da solenidade, entre outras autoridades, a primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli; a secretária de Estado de Assistência Social, Direitos Humanos e Políticas para Mulheres, Ana Paula Lima; a procuradora Gilcely Evangelista; a presidente do Tribunal de Justiça, Waldirene Cordeiro; a desembargadora Eva Evangelista; a diretora de Política paras Mulheres, Isnailda Gondim; a reitora do Ifac, Rosana  Cavalcante. 



CONFIRA NOSSA GALERIA DE IMAGENS