Notícias



A Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC), na ocasião representada pelos defensores públicos Bruno Vigato e Rafael Figueiredo, participou na tarde desta terça-feira, 6, do encerramento das atividades do Projeto Rede Justiça Restaurativa, ação do Programa Fazendo Justiça.

 

Durante o encontro, conduzido pela presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC), Waldirene Cordeiro, foi finalizada a fase de preparação para implementação do Projeto Rede de Justiça Restaurativa, desenvolvido pelo Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo (CEDHEP), entidade de defesa de garantias individuais e sociais.

 

“A Justiça Restaurativa desponta como um conjunto ordenado e sistemático de princípios, de métodos, de técnicas e atividades próprias, visando a conscientização sobre os fatores relacionais, institucionais e sociais motivadores de conflitos e de violência, e a melhor forma de solucionar esses conflitos.”

 

Na sua fala o defensor público que atua na Execução Penal, Bruno Vigato, parabenizou o Tribunal acreano pela relevante iniciativa e o Conselho Nacional de Justiça pelo incentivo para a implementação da Justiça Restaurativa.

 

“É uma honra participar desse momento histórico da justiça criminal acreana. A Justiça Restaurativa, é um importante instrumento para um olhar mais humanizado, que possibilita o diálogo e traz esperança para a justiça criminal”, destacou o defensor público.

 

Participaram da solenidade virtual, a coordenadora do Programa de Justiça Restaurativa (JR), Eva Evangelista, os membros do Comitê Gestor Nacional da Política da Justiça Restaurativa do CNJ, os juízes Alexandre Takashima e Marcelo Salmaso, os juízes de Direito, Gilberto Matos e Andréa Brito, a coordenadora da JR no Acre, Pâmela Vilella, entre outras autoridades.